[RESENHA de livro] O diário de Anne Frank

Olá pessoal que ama boas leituras! 💖📚

Trago a resenha de um livro que li este ano, mas havia comprado ano passado em promoção e não sei porque adiei tanto a leitura.

O documentário relativo à vida da autora está na minha lista de interesses na Netflix, mas, por enquanto, não assisti. Assim que o ver, comentarei no blog também.

 Acompanhe aqui comigo. 💕





Sobre a autora do livro


Anneliese Marie Frank, mais conhecida como Anne Frank, (Frankfurt, 12 de Junho de 1929 — Bergen-Belsen, início de Março de 1945) foi uma adolescente alemã de origem judaica, que morreu aos 15 anos no campo de concentração nazista de Bergen Belsen, na Alemanha. 



Sobre o livro


No auge da Segunda Guerra Mundial uma garota ganha em seu aniversário de 13 anos um caderno de autógrafos. Tinha um fecho, capa dura de tecido xadrez vermelho e branco. O nome da garota era Anne Frank e ela gostava muito de escrever. Por isso, transforma o caderno em um diário. 

Menos de um mês depois, Anne, a irmã Margot e os pais vão para um esconderijo secreto, onde passam mais de dois anos, com outras quatro pessoas, para não serem enviados para um campo de concentração.

Os nazistas encontraram o esconderijo e o grupo não escapou do holocausto. Anne, que era judia, morreu pouco antes de fazer 16 anos. Porém, o diário onde foram narrados os momentos sobre a vida de Anne Frank e os acontecimentos vivenciados no anexo secreto sobreviveu ao tempo. 

Foi publicado pela primeira vez em 1947 e se tornou um dos livros mais lidos do mundo, traduzido para mais de 60 idiomas.

"Os mortos recebem mais flores do que os vivos porque o remorso é mais forte que a gratidão."
Anne Frank


A força da narrativa de Anne, com impressionantes relatos das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus, faz deste livro um precioso documento histórico.

Ele destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum, os dilemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento.





O Diário de Anne Frank é conhecido por ser um retrato fiel da aflição de uma família de judeus sob a mira do nazismo e o terror da Segunda Guerra Mundial. Traduzido em diversas línguas e adaptado para o cinema, a história da família Frank marcou a literatura e sem dúvidas deixou alguma marca também em cada um dos leitores que se debruçaram sobre ela em algum momento da vida.

O livro não é só um relato sobre os terríveis acontecimentos envolvendo o período da Segunda Guerra Mundial, mas também sobre a inocência roubada de uma menina que queria apenas viver sua vida e concretizar seus objetivos, de uma família que viveu o medo diário da morte, de uma história real e triste que poderia ser contada de várias formas, mas essa certamente foi uma das mais incríveis e realistas, pois saiu das mãos de quem a viveu e de quem sentiu na pele o lastro de terror que o nazismo deixou.

Foi lançado no Brasil a versão em quadrinhos, que também está em minha lista de interesses. Não duvidem que farei a resenha desta edição. ;]



capa da HQ brasileira

Opinião pessoal da Val


Fiquei triste por tantos sonhos que ela tinha não terem sido realizados, mas querendo ou não, um deles foi, que era o de ser reconhecida como uma excelente escritora. Também achei incrível como alguém tão jovem pode ser tão madura e pensa em todos os atos e efeitos nas relações interpessoais. Acho algo incomum nos jovens atuais, ao menos nos que conheço. Retrata também toda a subjetividade adolescente.

Recomendo demais a leitura pois é um relato de vida forte, inteligente e sensível que foi incrivelmente brindado com uma nova edição de capa dura, repleta de fotos e muito bem cuidada, um verdadeiro presente e o mais que merecido destaque e atenção a uma obra clássica e importante da literatura que todos, sem exceção, deveriam ler.

~~♥

Comentários

Postar um comentário